domingo, 12 de abril de 2015

Fora de controle (Zachary)

Na vida temos que tomar decisões. E decisões mudam todo o seu destino. O mais difícil é escolher o melhor caminho em uma fração de segundos, de dias. Uma história pode se alterar com apenas um gesto, uma palavra. Ou o não-gesto e a não-palavra. A própria ausência de qualquer atitude inverte a sucessão das coisas.
Eu precisava saber o que estava acontecendo para me preparar. Não queria que ninguém chegasse perto de Vanessa. Pois eu estava disposto a perder tudo, até a minha própria vida, mas não a da mulher que amo.
A resposta para todas as dúvidas começou a chegar no telefonema que recebi.
Sami estava morta, mas alguém tinha seu aparelho e encontrara meu número.
- Alô?
- Alô, Zachary. - uma voz masculina falou do outro lado.
- Quem é?
- Quem é não importa muito, mas o que eu quero.
- E o que você quer? - perguntei.
- Eu quero saber se está disposto a enterrar o álbum de figurinhas que lhe enviamos pelo correio. - ele riu do outro lado.
Instantaneamente, eu pensei que poderia ser alguém mais próximo a mim, mas depois abandonei a ideia, ainda estava cismado com a ligação de Sami naquele novelo de suposições.
- Por que isso? - perguntei.
- Você sabe que o seu sogro deixou uma dívida não é...?
- Meu sogro? Que sogro?
- Zachary, não se faça de desentendido. Você é bem espertinho.
- E o que eu tenho a ver com isso?
- Bom, sabe como é, depois da morte as coisas boas se passam pela herança e as dívidas, também.
- Por que as fotos?
- É só uma garantia. Afinal, sua reputação deve valer quase o preço que precisa pagar para estarmos quites.
- E se eu não quiser pagar?
- Bom, acho que isso aqui fará um bom estrago espalhado por aí.
- Eu não vou aceitar ameaças!
- Mas não precisa ficar nervoso. Basta entrarmos em um acordo.
- Soube que a Sami está morta. A vida dela foi o preço dessas fotos? Mataram ela para conseguir coisas sobre mim?
- Ah! Eu não costumo revelar os meus métodos. Ela deu muito trabalho. O que não vai ser o seu caso, vai?
- Eu não estou nem aí para o que vá fazer com as fotos!
- Como quiser, senhor Zachary. - desligou.
Franzi a testa e olhei para o aparelho em minha mão.
- Quem era, Zac? - Vanessa perguntou.
- Eram os agiotas, eles querem o dinheiro que seu padrasto devia. Tem noção de quanto era?
- Não sei, talvez muito...
- Está tudo ok, Nessa. - abracei-a. - Eu vou à polícia, vou contar tudo que aconteceu, tudo bem?
- E eu? Estou com medo.
- Eu vou pedir para alguma vizinha te acompanhar na aula de hidroginástica. Você vai relaxar, esquecer tudo que está acontecendo e...
- Zac! A única criança aqui é a que está na minha barriga. Eu não vou conseguir esquecer!
- ... - suspirei. - Ouça. Eu quero acreditar com todas as minhas forças que nunca vai precisar disso... - abri o armário da cozinha.
- O que está procurando, Zac?!
- Preste atenção no que eu vou te falar. - peguei a arma que guardava na caixa com cadeado numerado.
- Eu não vou usar isto.
- Não! Você não vai, ok? Mas precisa saber.
- Zac...
- Está tudo bem. - beijei-a nos lábios. - Você a segura assim... - expliquei-lhe rapidamente os procedimentos que deveria tomar. - Mesmo sabendo de tudo isso, só a use em último caso! Quando sua vida estiver de fato em um risco de quase 100%. Se alguém se aproximar de você, não reaja! Não reaja!
- Tudo bem... - ela engoliu em seco.
- Não olhe nos olhos para que eles não se sintam amedrontados. Fique calada, só responda o que perguntarem. Tente conter-se o máximo que puder. Controle! Controle! Respire essa palavra.
- Certo.
- Se eles usarem algum tipo de ligação e te colocarem na linha, você terá alguns segundos apenas para me passar dados importantes. Use códigos, coisas que só eu vou entender.
- Do jeito que está falando, está prevendo tudo...!
- Não, é só parte dos treinamentos. Eu só estou tentando te passar o mais vital.
- Eu só quero ficar bem, em paz, não quero treinar nada.
- Tudo bem. - abracei-a com carinho.
Eu precisava acionar a polícia. Pedi que Vanessa ficasse em casa com uma vizinha. Mas os dias se passaram e não tivemos mais retorno de nada. Ela precisava voltar à sua rotina e eu sabia que não estava acabado, que algo estava prestes a acontecer.
Foi quando o meu telefone tocou no meio do almoço e eu reconheci aquele número.
- Alô?
- Zachary?
- Quem é?
- Reconhece essa voz? - a voz masculina foi substituída pela de Vanessa.
- Zac...- era a voz de Vanessa.
- Não...
- Já que as fotos não foram uma garantia segura, agora temos a garantia viva.
Desligou.
Eu senti a ira subir por todo o meu corpo. Bati com os punhos fechados na mesa:
- Arrrrraaaaahhhh - grunhi.
_____________________________________________
Olaaaa!!!
Ai meu pai!! Os agiotas sequestraram a Vanessa.... Espero que tudo acabe logo 
e que a Vanessa e o bebê fique bem!! O Zac tem que dar uma de
herói novamente e salvar a vida da esposa e do filho!!
Comentem ai...
Obrigada pelos comentários!!!
Beijos e até qualquer hora...

4 comentários:

  1. Ai mds ,coitada da Nessa ,tomara que ela consiga passar os codigos pra o Zac! Ai senhor ,posta logo pelo amor!bjs bjs

    ResponderExcluir
  2. Ahhh menina de Deus!! Como assim coitada da vane, posta mais logooo!!

    ResponderExcluir
  3. meu deus.............sabia q isso ia acontecer.....tomara q o zac de uma boa surra no pessoal

    ResponderExcluir
  4. ai Deus,tomara que o Zac salve a V e que todos fiquem bem
    posta logo,kisses

    ResponderExcluir