domingo, 5 de abril de 2015

Quanto mais eu sei, nada sei (Vanessa)

- Você está tão linda! - Ashley juntou as mãos e levou à boca ao me ver dentro do vestido de noiva.
A costureira terminava de verificar os detalhes com ajuda dos alfinetes. Eu estava em cima de um pequeno banco.
- Será que ele vai gostar?
- Lógico que vai! Ele vai sentir o coração parar quando te ver.
- Será? Mas ele já me vê todos os dias.
- Vanessa, isso aí é filme, não é realidade. No filme, tudo tem que acontecer durante o intervalo de duas horas, ai os personagens convergem todas as emoções só para aqueles momentos clímax. Já na vida real, a gente ama em todas as situações. Ele vai ficar é ainda mais apaixonado.
- Profundo, hein? O espírito do casamento está te contaminando?
- Totalmente. - ela sorriu.
Depois de tudo perfeitamente ajustado, fomos até a praça de alimentação do shopping para comermos alguma coisa.
- Eu acho que você merece muito isso. - ela disse-me.
- Eu não sei se é uma questão de merecimento, porque se fosse assim, outras pessoas também “mereceriam” ser felizes e, no entanto, não são. Por essa lógica, seriam más?
- O que eu quero dizer é que você teve uma vida difícil e o Zac veio para te oferecer o carinho e o amor de que precisa tanto.
- Isso eu não posso negar. Quando estamos juntos, eu tenho uma sensação de que o conheço há muito tempo. Nossa ligação é tão forte! Não adianta a gente relutar, porque fomos feitos para ficar juntos.
- Acho tão bonito vocês dois: você sendo a princesa...
- Eu também faço por onde. Aprendi a cozinhar melhor, a cuidar das roupas dele, me empenhei muito mais nos estudos, estou lendo vários livros dele, pego o jornal toda manhã para ler, enfim, comecei a melhorar para o Zac. Eu quero que se orgulhe de mim e aprenda também comigo. Não posso apenas receber e receber, eu preciso oferecer.
- Muitas pessoas demoram a chegar neste estágio. Elas vão ser infelizes por um bom tempo por pensarem que tudo depende só do outro. - falou.
- A gente vê a medida do nosso amor pela capacidade de perdoar e tolerar. Tive que perdoar o Zac por ter mentido para mim porque essa era condição para darmos uma segunda chance a nós dois. E, quando falo tolerar, me refiro a aceitar a pessoa como é e entender a lógica dela, olhar através de seu olhar.
- Claro. Não é fácil.
- Não. Mas tentar fazer o outro um objeto de pesquisa científica é pior. Ficar mirabolando meios de subvertê-lo a uma postura que você teria é muito mais desgastante, pois, ao não conseguir, você se frustra.
- Nossa, está lendo bastante mesmo.
- Ler ajuda sim... - sorri. - O Zac me ensinou uma coisa interessante. Imagina um círculo. Dentro está tudo que você sabe. Do lado de fora, fica o que você desconhece. Cada vez que você aprende algo, esse aprendizado vai para dentro do círculo. Por causa disso, logicamente, o círculo vai crescer, ficar mais rechonchudo. Se ele cresce, a superfície que o envolve também cresce, como se fosse um balão de ar que você encheu e ele ficou maior. Dessa maneira, quanto mais você aprende, mais a superfície de contato que toca o lado de fora (que é onde está o que você ignora) cresce. Resumindo: “Quanto mais eu sei, nada sei”.
- Nossa! Complexo, mas lógico.
- É, quanto mais a gente lê, menos a gente sabe, porque as dúvidas sobre os assuntos correlatos àqueles aumentam. Se antes você não sabia nada sobre um autor e suas teorias, agora você vai querer saber quem é ele, qual o seu estilo, como era a época em que viveu. Ai, ao responder estas perguntas, você encontrará pontos obscuros para aprender ainda mais!
- Isso se aplica às pessoas. Minha mãe sempre diz: “Seu pai, depois de anos de casado, ainda me surpreende. Quando eu acho que sei tudo, descubro que ainda o desconheço”.
- Eu só espero ter surpresas boas daqui para frente. - falei e rimos juntas. - Ash, eu tenho que ir. - olhei o relógio.
Enquanto caminhava em direção a minha casa, fiquei com a imagem do meu vestido na cabeça. Era lindo! Ele começava com um desenho de rosas feitas com strass, na altura dos seios, que iam até a barra. Tinha um corte tomara que caia e luvas até os cotovelos.
- Amor! Já cheguei. - falei da porta da cozinha.
Ouvi vozes, pelo visto tínhamos visita.
_________________________________
Oiiiii meninas!!!
Ai deus quem será essa pessoa hein??
Será que é a Sami??
Jesus!!! Próximo capítulo vcs descobriram
quem é!!! 
Mínimo de comentários e eu posto mais um hoje!!
Então comentem ai!!!
Beijos e ate qlqr hora...

4 comentários:

  1. Uau.. É mesmo isso o amor *.*
    Posta logo estou ansiosa.

    ResponderExcluir
  2. ai meu Deus quem é essa pessoa?!!!! posta mais logooooo!!

    ResponderExcluir
  3. tomara que ñ seja a Sami!!!!
    dios mio,se for, a Vanessa vai pirar
    posta mais e rápido,kisses

    ResponderExcluir
  4. Tomara que n seja a filhote de cruz credo,mas se for a Nessa vai deixar ela pior do que ja é,posta logooo ansiosa!

    ResponderExcluir