sexta-feira, 10 de abril de 2015

Teto de aço (Zachary)

Quando ouvi as primeiras notas da música meu coração deu um salto no peito. Parei de conversar com meu amigo e olhei para o lado.
Um coroinha abriu as portas da igreja e Vanessa apareceu envolta em luz, brilhante, uma estrela. Eu soltei o ar pela boca entre aberta e depois sorri.
Todos os convidados se levantaram e o clima de contemplação aumentou na medida em que ela caminhava sobre o tapete vermelho, vindo em minha direção.
Senti as palmas das mãos suando e a farda estranhamente apertada, quente, sufocante. Era muita emoção para um só momento. Eu finalmente me casaria com a mulher que amava.
Era estranho ver como tudo estava acontecendo como eu planejara, mas em um tempo muito posterior ao esperado. Eu queria casar com a mãe de Vanessa e quinze anos depois estava ali, olhando para sua belíssima filha vestida de branco. A vida é cheia de surpresas, desencontros, incoerências, mas não podia dizer que não fora boa comigo. Eu não ficaria para sempre infeliz como achei que seria após as descobertas sobre Michelle. Se ela teve alguma coisa boa que a salvasse, era Vanessa.
Estendi minha mão com luva branca e peguei a sua delicadamente. Beijei-a.
Sorrimos e ficamos diante do altar, onde juramos amor eterno.
Enfim, éramos um só.
Meus amigos levantaram as espadas e fizeram um corredor de teto de aço para atravessarmos.
A festa fora para os convidados, pois para Vanessa e eu só começou quando ficamos a sós. A verdadeira comemoração estava prestes para acontecer.
- Zac... - Vanessa parada no centro do quarto parecia-me a mesma antes de tê-la tocado. Mantinha aquele olhar de promessas sem fim, nunca apreendidas em um só beijo.
- Hum... - segurei suas mãos enluvadas.
- Eu posso ter demorado a chegar, eu posso ter parecido não querer ficar, mas eu serei para sempre aquilo que você procurou. Sem saber, você me esperou chegar na sua vida.
- Eu te amo. - passei o polegar nos seus lábios.
- Eu também te amo. - ela retirou as luvas e as deixou cairem no chão. Suas mãos quentes seguravam meu rosto.
Respirei profundamente e puxei as minhas luvas também. Queria sentir sua pele com meu tato. Acariciei seus braços e a beijei com a volúpia de uma espera existencial.
_____________________________________________
Heloooo!!!
Antes de mais nada quero pedir desculpas pelo capítulo pequeno... A culpa é da autora hahaha
Eu estou sorrindo a toa tentando imaginar esse casamento... aiaiaiai meu ♥
Infelizmente hoje não poderei postar mais porque tenho algumas coisas pra fazer
mas eu prometo q amanhã e domingo posto dois capítulos ou mais (vai depender de vcs) em cada dia!!!
Então comentem ai...
Obrigada pelos comentários!!!
Beijos e até qualquer hora...

2 comentários:

  1. aiii meu core *-*
    tão lindo esse capítulo ♥♥♥ podia ser verdade né?!
    por favor,posta mais amore
    estou ansiosa para ler sobre a lua de mel deles,kkkk
    kisses

    ResponderExcluir
  2. Ai que fofo!!! E como podia ser verdade !

    ResponderExcluir